No episódio #002

Kamilla Nunes lê Verônica Stigger

No Episódio #002 a artista e curadora Kamilla Nunes lê Os anões de Verônica Stigger.

Kamilla Nunes é curadora independente e crítica de arte, mestre e doutoranda no Programa de Pós-Graduação do Ceart/Udesc, graduada em Artes Plásticas pela mesma universidade [2010]. É gestora do Espaço Embarcação, em Florianópolis. Foi curadora do Espaço Cultural O Sítio [2015] e diretora do Instituto Meyer Filho [2010 a 2014]. Foi integrante do grupo de curadoria de Frestas Trienal de Artes [SESC, 2014, Sorocaba] e idealizadora da Rede Artéria em parceria com o artista Bruno Vilela [arteria.art.br]. Foi curadora do programa de exposições do Memorial Meyer Filho de 2008 a 2014. Entre suas últimas curadorias, encontra-se LUGAR como LUGAR [O Sítio, 2015], Eis senão quando [O Sítio, 2015], "Congresso extraordinário da Fortaleza de Anhatomirim" [Exposição coletiva resultante da residência Ações Curatoriais, 2014]; “ERRO EX POSTO” [Exposição de 12 anos do ERRO Grupo, Florianópolis, 2014]; a participação na equipe curatorial da Bienal Internacional de Curitiba [Prêmio Jovens Curadores, PR, 2013]; “Sumidouro” [Laboratório Curatorial da SPArte, coordenado por Adriano Pedrosa, SP, 2012]; “Faça algo errado, e diga que fui eu que mandei fazer”, [Galeria VK/SESC Joinville, SC, 2011]; “Ó lhó lhó” [Sessão Corredor do Ateliê 397, SP, 2011]. É autora do livro “Espaços autônomos de arte contemporânea”, lançado em 2013 através da Bolsa Funarte de estímulo à produção crítica. Organizou os livros “Exercício de imaginação: Meyer Filho” e “Memorial Meyer Filho”. Participou como curadora da residência “TAC Terra Una” [Minas Gerais, 2013] e da residência editorial da “Revista Tatuí”, no 10 [Olinda, 2010].

CLIQUE AQUI PARA ESCUTAR NO SPOTIFY

©2018 Podcast VER.SAR arte, maternidade e feminismos.Por Priscila Costa Oliveira.