Quero ter olhos pra ver a maldade desaparecer, 2020

Paula Batista,

 

Díptico- Fotografia


Durante a pandemia de COVID 19 as integrantes do coletivo Gigantes na Luta se vêem afastadas do seu território de atuação: as ruas. Este é um coletivo de mulheres feministas que andam em pernas de pau, ativamente engajadas nas causas sociais e políticas
Na pandemia, ficaram isoladas no ambiente doméstico e se comunicando apenas por meio de teleconferência, como a maioria da população que pode ficar em casa. Nesse cenário, os encontros virtuais se tornaram conexão, momentos de reenergizar, revigorar e ter a certeza de que estar juntas independe de distância física. 

Este trabalho registra este momento de apreensão e dor frente à calamidade do cenário brasileiro.

Paula Batista, Articuladora da Coletiva nacional Gigantes na Luta, de mulheres pernaltas (pernas de pau) Fisioterapeuta, mestranda em Teatro pela Udesc, pesquisadora de Carnaval com foco nas imagens políticas, artivista, acredita na arte como ferramenta de transformação social.